Créditos

Produção e concepção: João Manuel Alves/ Tecnologia Blogger

sexta-feira, 10 de Dezembro de 2010

Protetores solares

Exposição prolongada ao sol requer cuidados. Saiba mais sobre protectores solares em publicação do Infarmed.O protector solar é um produto cosmético a ter em consideração quando se trata da prevenção dos malefícios causados pela radiação solar. No entanto, a sua simples utilização não garante a total prevenção e nem significa que nos podemos expor por mais tempo ao sol. Além disso, só será eficaz se utilizado correctamente.

Protecção e rotulagem

De acordo com as recomendações da Comissão Europeia, na rotulagem deverá constar a indicação do factor de protecção solar (FPS) reivindicado e a sua categoria de protecção solar (“baixa”, “média”, “elevada” ou “muito elevada”).

A categoria de protecção solar é uma indicação geral para o consumidor, que visa uma avaliação adequada da eficácia do produto e que deverá apresentar-se na rotulagem de forma tão destacada como o FPS.

Desta forma, os protectores solares podem classificar o seu FPS entre:

•6 e 10 - Protecção baixa

•15 e 25 - Protecção média

•30 e 50 - Protecção elevada

•Superior a 50 - Protecção muito elevada

O factor de protecção solar é uma menção obrigatória que tem como objectivo ajudar o consumidor a comparar produtos e a escolher o produto certo para uma determinada exposição e para um dado tipo de pele (fototipo).

Por exemplo, os protectores solares com FPS superior a 50 deverão apresentar na rotulagem a indicação “FPS 50+” e categoria “protecção muito elevada”.
Está previsto que os protectores solares devem assegurar um grau mínimo de protecção contra as radiações UVB e UVA, correspondente a FPS 6. Assim, apenas os produtos com FPS igual ou superior a 6 poderão apresentar reivindicações de protecção UVB na sua rotulagem.

Instruções e eficácia

A rotulagem dos protectores solares deve conter instruções de utilização que garantam a eficácia do produto (“aplique o protector solar antes da exposição”) e necessidade de reaplicação do produto para manter a sua eficácia (por exemplo, através da advertência “repita a aplicação frequentemente para manter a protecção, nomeadamente, depois de transpirar, de nadar ou de se secar”).

Destas instruções de utilização devem também constar indicações sobre a quantidade de produto necessária para garantir a sua eficácia, que poderão aparecer sobre a forma de um pictograma, uma ilustração ou um dispositivo de medição.

Os protectores solares devem ainda apresentar uma explicação sobre os eventuais riscos caso a quantidade aplicada seja reduzida. Podem ainda conter, na sua rotulagem, conselhos gerais sobre as precauções a ter com a exposição solar, incluindo advertências como:

•Não permaneça demasiado tempo ao sol, mesmo quando usar um protector solar;

•Mantenha os bebés e crianças de tenra idade fora da luz directa do sol;

•A sobreexposição solar constitui um risco grave para a saúde.

Por outro lado, na rotulagem de protectores solares deve ser respeitado o princípio da verdade, ou seja, não deverá ser dada a impressão de que a sua utilização confere protecção total contra os riscos decorrentes da sobreexposição à radiação UV.

Desta forma, não deverão ser utilizadas expressões como “ecrã total” ou “protecção total”, nem ser dada a indicação de ausência de necessidade de reaplicar o produto em quaisquer circunstâncias, como, por exemplo, “protecção durante todo o dia”.

Importância da protecção solar

A exposição prolongada ao sol requer alguns cuidados, já que este emite raios UVA e UVB responsáveis por danos causados na pele, que juntos penetram na epiderme e derme, causando alterações que aceleram o envelhecimento da pele, tornando-a flácida e opaca. Favorecem ainda o aparecimento de rugas e manchas.
Prevenir queimaduras e, a longo prazo, o cancro da pele é simples: basta ter alguns cuidados antes e durante a exposição solar.

•Usar sempre um protector solar com um factor de protecção adaptado ao tipo de pele - o rosto necessita geralmente de um factor de protecção maior do que o escolhido para o corpo;

•Usar o protector solar diariamente, nas áreas mais expostas ao sol;

•Aplicar o protector solar 20 a 30 minutos antes de cada exposição solar;

•Evitar a exposição solar entre as 12 e as 16 horas (período mais prejudicial segundo a Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo - http://www.apcc.online.pt)

•Reaplicar sempre o protector solar a cada 2 horas e após nadar e transpirar, já que a água e a transpiração diminuem a eficiência dos filtros solares;

•Usar óculos de sol, chapéus ou bonés que ajudem a proteger o rosto, lábios e olhos;

•Não expor crianças muito pequenas directamente ao sol;

•Os dias nublados também exigem o uso de filtro solar, pois nestes dias 40 a 60% da radiação solar atravessam as nuvens e chegam à Terra;

•Cuidado com a luz reflectida - a luz do sol reflecte na areia, atingindo a pele, mesmo na sombra.

Sem comentários:

Enviar um comentário